GrupoMENTHOR
email contato@grupomenthor.com.brphone +55 (51)99335-1603
17
ABR
2018

Dicas para gestão de TI em PME: rodar simples e seguro para garantir qualidade nas pontas

A TI deixou de ser uma área meio para empresas há alguns anos. Como assim? Sim! A TI é uma área finalística, pois pense comigo: Se o sistema ERP não estiver funcionado a empresa consegue comprar, vender, pagar, receber? Não! Mas isto sempre foi assim, o que mudou? Mudou o mundo da conectividade e obrigações eletrônicas. Hoje tudo é online. NFe, NFCe, TEF, Ecommerce… o processo de experiência do cliente passa por bons ou maus serviços de TI. Tudo depende da importância que você dá para isto. É importante a experiência do cliente?

Imagine uma loja que tem um CHECKOUT de PDV lento e outra que tem bem rápido. São centenas de clientes afetados diariamente por uma experiência ruim quando este processo final é lento. Quando o processo é rápido não é lembrado porque é algo básico. Mas hoje tenho certeza que lembramos quando temos uma experiência positiva com a TI porque infelizmente temos muitas soluções precárias nas pontas.

Este é um exemplo do comércio, porém na Indústria é a mesma coisa. Quantos clientes ficam insatisfeito pela demora em processos de carregamento, descarregamento, cobrança e informações de pedidos? Tudo depende de uma retaguarda com processos ágeis e robustos + serviços de TI funcionando perfeitamente.

Tudo muito lindo e bonito, porém ter uma TI funcionando perfeitamente e com segurança de continuidade do negócio dá trabalho não custa barato. O que é barato? É claro que custa 1000 vezes mais em conta que há 15 anos atrás onde os serviços e fornecedores eram poucos, agora temos soluções para todos os gostos e bolsos. Tudo vai do nível de necessidade do negócio e quanto se quer ter garantia da continuidade do negócio, ou seja, estabilidade e garantia dos serviços.

Sabemos que a maioria das PME (Pequenas e Médias Empresas) brasileiras, para mim empresas que faturam até R$ 50 milhões ano, não tem um orçamento de TI definido e uma estrutura separada por infraestrutura, sistemas e suporte, com profissionais dedicados exclusivamente para cada área. É uma realidade da maioria das empresas ter profissionais que devem atacar em todas as áreas para manter o negócio competitivo em com o mínimo de custo. O mercado brasileiro é implacável, aqui não é um país para amadores. Todo o custo adicional desnecessário é uma perda na competitividade. Mas temos que ter muito cuidado com relação aos serviços de TI. A visão deve ser como um plano de saúde que pagamos por seguro e não que queremos usá-lo.

Dito isto, sabemos que cada segmento e negócio tem a sua realidade, mas tem alguns pontos em relação a TI que são fundamentais. Vou listá-los abaixo vários que considero vitais para o negócio, já aviso que muitos tem termos do “informatiquês” que são impossíveis de traduzir para quem não é da área, ou melhor, levaria muito tempo. O Google pode ajudar a explicar qualquer dúvida sobre estes termos:

1. Tenha fornecedores de TI experientes e bem estruturados, simples assim. Tem que ser empresas PJ com sede, sócios e funcionários qualificados/certificados para poder cobrar o nível de serviço contratado. Na TI o barato pode sair muito caro! Como regra de ouro é importante que o empresário veja estes fornecedores de TI como Parceiros Estratégicos de TI (PETI). O PETI é uma empresa com reconhecimento no mercado pelas soluções e serviços prestados. Deve ser uma empresa idônea, com experiência no segmento (tem que comprovar ligando ou visitando clientes) e compatível financeiramente e estrategicamente com o seu cliente, ou seja, você como cliente precisa ser importante para o PETI e vice-versa. No mais deve ser preservada a relação com admiração mútua e constante feedback.

No contexto de PME, a TI é dividida em basicamente em Infraestrutura e Software. Dentro da Infraestrutura temos rede, servidores, internet, backup, estações, sistemas operacionais, antivírus, etc… vai longe. Em termos de software temos o ERP, CRM, Intranet, Site, Ecommerce, etc. Suporte geralmente não é separado, porém recomendo que seja bem estruturado este processo porque aí é uma zona de conforto pelo caos e desorganização em geral. O caos é uma zona de conforto! Para poder cobrar e ter serviços de TI decentes é importante que o empresário tenha pelo menos um PETI de infraestrutura e outro de sistema que garantam bons serviços e suporte. É claro que é fundamental ter um ou mais profissionais interno com bom conhecimento de TI para fazer o gerenciamento e interface com estas empresas.

2. Email para PME tem que ser IMAP, ou seja, fica a cópia na nuvem e só baixa o cabeçalho das mensagens. O ideal seria ainda educar os usuários para utilizar Webmail e matar as soluções locais, mas daí a briga é feia. Sugiro usar Thunderbird como alternativa as soluções do windows gratuitas que um dia te deixarão na mão, inclusive a versão paga do outlook. Ninguém da bola para email, mas se parar é a maior gritaria na empresa. O teu PETI de infraestrutura irá te ajudar neste processo. Se precisar controlar os emails devido a questões de segredos empresariais então deve ser avaliados soluções mais robustas como exchange e zimbra.

3. Tenha um bom servidor de arquivos com Windows Server e Domínio de Rede com Active Directory. A Microsoft ferra com a gente em muitos aspectos como usuários caseiros, mas em termos de servidor de arquivos ainda não tem nada melhor no planeta. Neste mundo perigoso cheio de hackers é imprescindível ter uma rede windows bem configurada e atualizada. Junto com o windows server é importante ativar o WSUS para manter as atualizações das estações 100% e reduzir o trabalho da TI e usuários. Todo o tempo perdido com as atualizações serão reduzidos a quase zero com o WSUS. O teu PETI de infraestrutura irá te ajudar neste processo.

3. Tenha um ERP compatível com o negócio. ERP é o serviço de TI mais vital do negócio. Com certeza é o maior demandante de chamados da TI. Selecionar e implementar é um serviço complexo que necessita de profissionais altamente capacitados em TI e Gestão. Não é para amadores! Sugiro contratar consultoria especializada em Seleção e Implementação de ERP. Tenho uma boa para te indicar 😉

4. Compre tudo legalizado e guarde todas as notas fiscais na TI e no financeiro. Não invente de colocar nenhum software pirata na sua empresa e certifique-se que os usuários não consigam instalar. O ideal é restringir o acesso dos usuários como administrador da máquina. Isto é possível com uma simples configuração do item 4. O teu PETI de infraestrutura irá te ajudar neste processo.

5. Tenha um plano de antivírus contratado e sempre atualizado. Como saber qual o melhor antivírus para a minha empresa? O teu PETI de infraestrutura irá te ajudar neste processo. Tem que ser uma solução de fácil atualização e gerenciamento. Também veja a possibilidade de bloqueio de portas USB, isto é muito básico para infecção da rede.

6. Restrinja os acessos através de firewall corporativo de fácil gerenciamento. De nada adianta colocar soluções difíceis de gerenciar. Precisa ser uma solução robusta e prática para a TI interna conseguir fazer as parametrizações básicas e se necessário PETI de infraestrutura dar o suporte. Aqui temos além da proteção o controle da redundância de internet, algo básico para qualquer empresa atualmente. É obrigatório atualmente ter dois links de internet estáveis para garantia da continuidade do negócio. O ideal sejam de tipos diferentes: adsl, fibra, rádio, etc.

7. Para comunicação entre unidades e acesso fora da rede exija utilizar VPN. O mundo da TI está muito inseguro, não temos como deixar nenhuma possibilidade de acesso externo sem túneis de segurança. Certifiques-se da real necessidade de liberar o acesso externo. Se possível, libere e feche depois do acesso. Não deixe nunca nenhuma porta aberta sem motivo. Seu PETI de infra deve exigir e orientar o procedimento correto.

8. Desenvolva e implemente um termo de política para utilização dos recursos de TI da empresa. O computador, sistema, internet, telefone… ou seja, todos os recursos da TI são da empresa e não do usuário. Sendo assim, seja pragmático e pergunte aos donos do negócio como que eles gostariam que os colaboradores se comportassem utilizando estes recursos e então implemente um documento com as diretrizes da TI deixando claro o que pode, o que não pode e quais devem ser as obrigações e procedimentos do usuário. Dito pelo não dito o que vale é o escrito. Tudo deve ser validado pela diretoria e RH. Parece burocracia? Sim! É uma burocracia para parar de perder tempo explicando e deixar claro para todos como que as coisas devem ser feitas. Faça um documento, simples, intuitivo, sem termos difíceis e fácil acesso. Os PETIs de infra e sistemas devem ajudá-lo, sempre peça ajuda.

9. Caso tenha a necessidade de liberar acessos externos, por exemplo WIFI a visitantes. Não economize em soluções cambiarras. Restrinja ao máximo e bloqueie todos os acessos. Não vacile em algo tão básico. Isto serve para qualquer tipo de acesso aos recursos da empresa. Utilize soluções específicas para WIFI visitante. Seu PETI de infra irá orientá-lo.

10. SENHAS! Garanta que todas as senhas estejam escritas em um arquivo único protegido com uma senha fortíssima e de acesso a poucas pessoas. Quem deve ter acesso as senhas? Deve ter um arquivo para o PETI de infraestrutura e outro para o PETI de Sistema. Deve ter outro arquivo que consolida todas as senhas e de acesso apenas da TI e dono da empresa. Se quiser uma ajuda para criar e armazenar senhas difíceis utilize: https://identitysafe.norton.com/pt-br/password-generator

A responsabilidade por senhas difíceis é da TI. Não terceirize para o usuário, ele não sabe os riscos de ter uma senha fraca. Com a implementação do item 4 você pode forçar o usuário a usar senhas difíceis e trocar a cada 3 meses.

De nada adianta ter tudo organizado e senhas fracas.

11.  B A C K U P. Com a implementação do Item 2 você já garante o backup dos emails. Com a implementação do Item 4 tem os arquivos principais centralizados. Então com a ajuda do PETI de Infra veja a melhor opção de Backup, tem várias possibilidades (Kobian, Bacula). Eu recomendo fazer o Backup da nuvem e também ter um Backup em HD na TI (2 HDs alternados). O Backup na nuvem servirá em caso de desastre severo como incêndio ou roubo. Exija que pelo menos uma vez por mês seja restaurado o backup e enviado um email ao dono do negócio que o processo foi executado com sucesso. Parece perda de tempo? Espera você ser atacado por hackers ou dar um pau no HD do servidor e nunca mais recuperar os dados. Pense bem: quanto custa um HD de 2TB hoje? R$ 400,00 no máximo.

12. O que puder ser Linux agradeça aos céus! Tudo que puder tirar do Windows e usar Linux você irá economizar e licenças e preocupações com segurança. Mas quando posso utilizar Linux? Quando o usuário não necessita de aplicativos Windows ora pois. Geralmente usuários que só acessam a Web não precisam de Windows. E se precisar acessar a rede Windows? Tem solução para isto, mas sugiro deixar Windows para o pessoal do escritório que já tem o costume das ferramentas do Office e Software específicos como da Abobe, além do acesso aos arquivos da rede. O que puder ficar sem o Tio Bill Gates é muito melhor e mais seguro. Atualmente a solução UBUNTU do Linux é bem amigável para o usuário. Tudo é uma questão de adaptação. Com a implementação do Item 8 desta lista esta adaptação fica mais fácil de ser entendida.

13. A TI interna e PETIs devem ser um espelho um do outro. A empresa não pode ficar refém da TI interna ou de um forencedor de TI. Tem que haver um nível de governança e gestão para que a empresa não fique sem informações, senhas de acesso, configurações, backups, etc. Como fazer isto? O dono do negócio deve exigir e cobrar esta documentação na sua mesa mensalmente. Deve reunir a cada três meses a TI e parceiros e alinhar as expectativas. Tudo precisa ser acompanhado de perto. Todos os contratos devem ser organizados na TI e Financeiro com vencimentos, valores e nível de serviço contratado. Se a TI é tão importante, a mesma deve ser levada a sério e dada a devida importância.

Estas dicas são muito básicas e servem de base para estruturar uma TI em uma PME. A evolução da TI é utilizar as melhores práticas de gestão de TI baseadas no ITIL e outras técnicas de organização e produtividade como SCRUM e PMBOK.

 

 

04
FEV
2018

A revolução no varejo será nas pessoas e não na tecnologia

Em recente pesquisa a consultoria Accenture ouviu ouviu mais de 1.200 CEOs e grandes executivos que trabalham com Inteligência Artificial. Além disso, foram ouvidos mais de 14 mil funcionários de diferentes gerações e diferentes níveis. A pesquisa cobriu 12 setores e 11 economias e teve o objetivo de identifica COMO preparar o ambiente de trabalho para a transformação digital.

O foco é a qualidade da equipe para suportar as mudanças e adaptar o negócio as novas tecnologias. Parece algo óbvio, mas não é no dia a dia das lojas.

As empresas se deixam encantar por tecnologias e marcas que vendem benefícios e não entregam nem 20% do esperado. Até poderiam entregar, porém não foi combinado com os russos o valor para chegar ao ponto que o cliente deverá desembolsar para alcançar os resultados esperados e vendidos pela empresa fornecedora.

Outro ponto vital é a liderança, ou seja, os donos dos varejos  precisam de fato exercer o seu papel de líder em todos os sentidos e fazer com que as áreas chave conversem e tenham sinergia. Se a empresa não tiver sinergia a mesma deve avaliar o que pode ser feito com as pessoas da equipe, parar, organizar e avançar novamente.

SINERGIA é quando todos sabem o seu papel dentro da organização e não tem problema em relação as críticas e contribuição dos colegas porque todos querem o sucesso da empresa e sabem claramente quais objetivos devem ser atingidos para isto.

Outro ponto importante é que algumas áreas precisam trabalharam praticamente fundidas para que saibam o que a VOZ DO CLIENTE vem das lojas físicas, virtuais (analytics, big data), concorrentes e tendências. Setores de COMPRAS/MARKETING/VENDAS são um exemplo que devem estar conectados e muito bem entrosados para fazer acertarem cada vez mais o foco nas tendências.

Seguem as 4 ações propostas pela Accenture para preparar os varejos a transformação digital.

1. Alinhe o quadro de trabalho ao novo modelo de negócio

2. Reconheça e foque no negócio

3. Organize para agilidade

4. Construa e adote um novo DNA de liderança

 

Fonte: http://www.portalnovarejo.com.br/2018/01/24/acoes-preparar-ambiente-trabalho-transformacao-digital/

10
DEZ
2017

O que fazer para ter sucesso no varejo em 2018

A famosa boa prática de BENCHMARKING, ou seja, o que fizeram as melhores empresas de varejo para conseguir sucesso nos últimos anos.

Consultores da Mckinsey pesquisaram a apontaram o que fizeram e o que será a estratégia das empresas varejistas de sucesso em 2018.

1º PROATIVIDADE E AÇÃO NO COMPRAS/REPOSIÇÃO/COMERCIAL/MARKETING

Não existe um setor de compras, reposição, comercial e marketing totalmente separados. Todos tem que andar juntos como um cordão umbilical focados em resultados! Os setores devem ser muito proativos e se retroalimentarem de informações sobre o que está ou venderá mais nos próximos meses.

Uma das capacidades dos vencedores é a de “garimpar”, ou seja, buscar mercados ou categorias que crescem acima da média. Das 30 empresas que mais cresceram no Brasil, descobrimos que 73% do resultado veio dessa alavanca. Já a expansão por meio de fusões e aquisições representou apenas 23% e via ganho de market share, ínfimos 4%.

Ações para executar esta estratégia:

  • Avaliar constantemente e analiticamente os itens que crescem acima do mercado e adicioná-los rapidamente ao portfólio
  • Revisar a alocação de espaço, privilegiando itens que crescem mais.
  • Buscar constantemente trazer novos itens ao portfólio.

Varejistas que foram mais rápidos em testar e dar maior espaço a categorias como cervejas especiais ou “sucos 100% da fruta” conseguiram avançar mais.

2º INCENTIVAR A COMPRA COM NEUROMARKETING

Utilizar formas de incentivar a compra através de iniciativas como ATACAREJO que além de ser um modelo comprovado de sucesso, tem um fator psicologico que fica na cabeça do consumidor: sempre vou achar alguma promoção indo na loja X.

3º EXPANDIR COM PLANEJAMENTO E CONSCIÊNCIA

Se for expandir é necessário um planejamento detalhado das cidades ou microrregiões que crescerão mais.

Mesmo em um Brasil que passou por uma recessão nos últimos dois anos, diversas microrregiões mostraram desenvolvimento. Posicionar-se antecipadamente nesses mercados é a chave para crescer em um cenário adverso.

Estas dicas são muito diretas e objetivas e tenho certeza que são realmente efetivas.

Junto com estas dicas é muito importante que a empresa tenha um sistema de gestão integrada ERP que atenda tanto os seus PDVs como a Retaguarda de forma completa e adequada as suas necessidades e porte. De nada adianta avançar sem ter a certeza que os controles e números para tomada de decisão estão coerentes ou então ter um sistema deficiente que é pauta semanal na empresa pelos problemas ou ainda ter um sistema caro que exige muitas pessoas na retaguarda para mantê-lo.

Os processos e sistemas de gestão ERP para o varejo devem ser obrigatoriamente ENXUTOS.

Referência: http://www.portalnovarejo.com.br/2017/11/27/isto-que-empresa-precisa-fazer-para-crescer-em-2018/

04
AGO
2017

8 anos de empresa

No dia 4 de Agosto comemoramos mais um ano do GrupoMENTHOR.

Gostaria de agradecer a todos clientes, parceiros e colaboradores que de uma uma forma direta ou indireta contribuíram para chegarmos até aqui. Muito obrigado!!!

Nestes 8 anos de empresa temos a honra e satisfação de dizer que ajudamos centenas de empresários em projetos de tecnologia e gestão.

Muito característico entrarmos por problemas de sistemas de gestão integrados ERP ou para seleção e continuarmos nos clientes apoiando projetos de gestão da mudança.

Nosso norte e missão de trabalho sempre foi focar em resultados. Acreditamos que seja por isto que estamos firmes e fortes até aqui e abrindo novos negócios e frentes de trabalho.

Em Janeiro de 2016 iniciamos a operação da Panorama Digital, um negócio novo que com o passar do tempo vimos que será o futuro. Tudo está indo para era digital. Estamos transformando o GrupoMENTHOR em produtos online através de sistemas e cursos. Acreditamos neste processo de transformação digital e estamos agindo.

Continuamos atendendo clientes presenciais e promovendo cursos e palestras sobre gestão e tecnologia.

O que podemos dizer que temos excelentes lembranças de todos os projetos e que os últimos 3 anos foram de muita pesquisa e desenvolvimento para estarmos nesta nova fase do negócio.

 

02
DEZ
2015

Projetos ERP são para líderes de verdade

Um dos principais fatores para o sucesso dos projetos é a liderança. Líderes são os que lutam por uma causa maior e não estão presos a situações que impedem a realização das atividades. Se você não se sente um líder na sua empresa, comece hoje mesmo a sua capacitação, é imprescindível para o sucesso dos projetos que haja líderes.

É papel do líder é envolver todos os participantes do projeto e conduzir de forma que todos visualizem os benefícios e consequentemente atinjam os objetivos do projeto. O líder irá influenciar e motivar os participantes do projeto, sempre de forma ética e positiva, criando um ambiente de sinergia e colaboração voluntária para o sucesso do projeto e da organização.

Projetos ERP requerem um grande compromisso de todos os líderes da organização. Enquanto alguns temem em perder tempo e recursos para a implantação, outros tem medo das mudanças nos processos e das dificuldades que serão encontradas após a implantação.

Leia Mais

06
NOV
2015

Checklist básico com 5 itens essenciais para o sucesso na implantação de projetos TI

A TI é sinônimo de INOVAÇÃO nas empresas.

Fazer melhor; Mais rápido; Mais produtivo; Mais eficiente… enfim, é uma premissa dos projetos de TI. O que o projeto irá agregar de valor para a empresa? Esta é a pergunta fundamental.

Porém, antes do gestor se empolgar e começar a implantação de um projeto de TI é VITAL que ele siga um checklist básico para minimizar os riscos. As soluções de TI são intangíveis, pois por mais que pareça um simples software ou hardware, por trás tem uma série de mudanças em processos, habilidades de pessoas que precisarão se adaptar e tecnologias que precisarão de apoio de especialistas para que a empresa atinja os resultados esperados.

Leia Mais

11
OUT
2015

ALERTA: Prorrogação do prazo de implantação BLOCO K no SPED FISCAL

O governo foi sensível e prorrogou o prazo para a implantação do BLOCO K no SPED FISCAL. Na verdade, foi um ajuste para que as pequenas e médias empresas pudessem ter um tempo maior para organização e implementação.

Leia Mais

18
SET
2015

Definindo um objetivo SMART para o seu projeto

Qual é o primeiro passo para realização do projeto?

Definir um objetivo claro!

Os projetos são criados para produzir produtos, serviços ou resultados e devem ter um propósito ou um objetivo que atenda às expectativas das partes interessadas (stakeholders).

O objetivo de um projeto é definido conforme o seu escopo (trabalho a ser realizado), do cronograma (programação de atividades – datas e recursos), do orçamento (custos e despesas) e do nível de qualidade esperado.

Leia Mais

29
JUL
2015

Comprar um sistema pronto ou desenvolver um sistema sob medida?

Ainda nos dias atuais encontramos empresários, diretores e gerentes de empresas com o pensamento de desenvolver softwares sob medida.

Quando eu escuto algo do gênero eu penso: Tem que ser algo muito específico para desenvolver sob medida… e o suporte? E a continuidade das versões? E a tecnologia? E a infraestrutura necessária?

São muitas perguntas que precisam ser muito bem esclarecidas antes de pensar em contratar um desenvolvimento de software.

Partindo da premissa que a empresa contratante não tem atividade fim o desenvolvimento de software, é muito arriscado contratar um serviço no qual a empresa não tem domínio.

Para que a empresa pense em contratar um desenvolvimento de software sob medida a necessidade precisa ser algo muito específica e antes de iniciar eu recomendo conversar com os atuais fornecedores de sistemas da empresa para ver se eles podem atender a necessidade de outra forma utilizando o que já está instalado e funcionando.

Quando falamos em processos clássicos de gestão administrativa e produção: financeiro, vendas, comercial, recursos humanos, produção, logística, transporte, faturamento, etc. já temos tudo pronto há mais de 20 anos em uma quantidade enorme de soluções (ERP, CRM, SCM, PCP) de tudo o que tipo e forma de apresentação: local, mobile, nuvem, etc.

Tem algumas situações que é importante o desenvolvimento do software, mesmo que temporário. Ocorre em empresas de grande porte que possuem sistemas como: SAP, ORACLE, DATASUL… e precisam de um novo módulo ou customização mais pesada. Sabemos que qualquer alteração ou melhoria nestes softwares ERP de grande porte tem valores bem elevados e muitas vezes a área não tem mais orçamento. Neste caso, eu recomendo avaliar o desenvolvimento de software sob medida para atender determinada necessidade, sendo este integrado com a solução principal de alguma forma. Funcionando e trazendo resultados, o software desenvolvido sob medida pode ser incorporado ao sistema principal da empresa.

Nós do GrupoMENTHOR trabalhamos com desenvolvimento de Softwares, Portais e APPs em diversas linguagens, banco de dados e hospedagem mais modernas e de alta disponibilidade que existe na atualidade.

Podemos desenvolver um software para atender uma necessidade de forma muito rápida, bem acima dos padrões de mercado, pois trabalhos com ferramentas de desenvolvimento avançadas que aceleram o processo de desenvolvimento.

Na dúvida entre contratar um sistema pronto ou desenvolver um sistema sob medida? Faça um projeto bem estruturado para analisar todos os prós e contras. Se o sistema pronto atender mais de 80% dos requisitos, contrate-o. Se não atender, desenvolva sob medida com uma fábrica de software que tenha experiência comprovada e peça toda a documentação e códigos fontes. Certifique-se que a linguagem de programação e banco de dados utilizados tem profissionais no mercado para dar continuidade no desenvolvimento e suporte em caso de rompimento da parceria.

12
MAIO
2015

O que esperar dos Sistemas Integrados de Gestão (SIG): ERP, HR, CRM e SCM

É uma grande sopa de letrinhas… SIG, ERP, CRM, SCM, BI, PCP… sim, é mesmo!

Os nomes criados pelos fabricantes internacionais de software para os módulos acabaram ficando como os mais conhecidos nos clientes e a definição criada no Brasil (SIG) para este tipo de sistema acabou caindo em desuso.

O que esperar destes tipos de sistemas? Tornar as empresas mais competitivas, com menos desperdícios, retrabalhos, ineficiências, com mais agilidade, mais prontidão para atendimento a clientes e fornecedores… enfim, são muitos os benefícios quando os sistemas de gestão integrados são implantados com sucesso.

Em resumo, todos são sistemas focados na INTEGRAÇÃO e AUTOMATIZAÇÃO DOS PROCESSOS.

Podemos afirmar que o ERP é o pai de todos. HR, CRM, SCM e outros… foram módulos criados dentro do ERP que acabaram crescendo de tal forma que ficaram maiores que o próprio ERP em alguns casos. Cada um tem uma função específica e pontos de integração com o ERP.  O importante para o entendimento é que todos devem ser de alguma forma interligada pelo ERP, pois é no ERP que ocorrem as transações financeiras e contábeis.

ERP não é algo dos últimos anos… ERP já está em alta desde o final da década de 90, ou seja, já faz quase 20 anos. E porque vamos falar do assunto? Porque as empresas estão sempre em constante atualização dos sistemas ERP para atender as demandas de mercado e legislação. Além disto, as micro e pequenas empresas estão correndo para implantar os sistemas ERP para se manterem competitivas no mercado.

Definição de ERP para o GrupoMENTHOR:

ERP é um software que possibilita a integração do sistema de informações da empresa através das melhores práticas de gestão empresarial, dando suporte às áreas do negócio através da automatização dos processos e disponibilização de informações em tempo real, pois possui um banco de dados único e central.

Vejamos alguns exemplos de Sistemas Integrados de Gestão:

  • ERP (Enterprise Resource Planning): Controle total da gestão administrativa da empresa, principalmente nas funções financeiras, fiscal, contabilidade, comercial, operações logísticas e faturamento;
  • HR (Human Resources): software para gestão total dos recursos humanos, incluindo o processamento da folha de pagamento;
  • SCM (Suply Chain Management): software para gestão total da cadeia de suprimentos;
  • MES (Manufactoring Execution Systems): software para gestão do sistema de execução das atividades de produção
  • CRM (Customer Relationship Management): software para gestão do relacionamento com os clientes;
  • BI (Business Intelligence): software que utiliza a informação do ERP instalado na empresa para gerar cenários e análises por diversas perspectivas.
  • BPM (Business Process Management): software que atua diretamente nos processos através de fluxos de atividades (workflow);
  • GED (Gestão Eletrônica de Documentos): software para organizar e indexar os arquivos.
  • E muitos outros…

É bom que fique claro para todos os interessados em implantar este tipo de sistema que todas estas soluções já existem prontas no mercado por centenas de fornecedores que atendem todos os tipos de segmentos e portes de empresas. Os softwares são vendidos como pacotes comerciais que precisam ser adaptados e personalizados para cada empresa. O importante a ressaltar é que no momento que compramos um software já implantado em diversas outras empresas, muitas vezes até concorrentes, ganhamos junto com o projeto novas práticas de gestão que podem agregar muito valor para a nossa empresa.

Implantando sistemas integrados de gestão conseguimos compartilhar as informações da empresa através da integração dos processos (módulos) que acessam um banco de dados único e central, sem redundância de informações e margem para inconsistências, ou seja, um fluxo único de informações que interliga de ponta a ponta os processos da empresa.

A implantação de projetos de sistema integrados de gestão requer muito planejamento, organização, conhecimento de mercado, conhecimento de TI, conhecimento de processos de negócio, conhecimento em gestão de projetos e principalmente: apoio e comprometimento do alto escalão da empresa.

O GrupoMENTHOR é especialista em seleção e implantação de sistemas de gestão integrada em pequenas e médias empresas. Conte conosco para apoiar o crescimento da sua empresa através da implantação destas soluções.

Um ERP bem implantado e bem utilizado na empresa, garante vida longa e sustentável para a administração do negócio. Um ERP mal implantado é dor de cabeça e prejuízo por alguns meses.

 

12